texto

O Homem Analógico

quarta-feira, outubro 14, 2009Thabata Lima Arruda

- Depoimento de um senhor que encontra dificuldade de se adaptar.

Hoje é meu aniversário. Com certeza ainda terá alguma sacaneada, ou vai rolar algum acontecimento chato.
Estou fazendo 65 anos e estou sadio, sem nenhuma dessas doenças novas sabem? Stress ou alguma dessas síndromes que tem surgido.  Não sou bem sucedido e nem fracassado, a tal classe média sabe? Não sou casado, não tenho filhos, a tal independência e liberdade que acabou me dando a solidão.  Não sei o que é Twitter e nem quem é a Lady Gaga que tanto as vizinhas ouvem e falam. Eu sei, eu sei, sou uma pessoa chata.
Ainda fico chocado quando vejo no noticiário dinheiro público passeando por lugares que não deveriam, quando vejo políticos morando em castelos ou senador distribuindo cargos para toda a família.
Pois é, tudo muda, até quando se trata de sexo, hoje em dia todo mundo tem camisinha na carteira e na bolsa.  Até eu tenho, nunca se sabe. Os homens e mulheres não precisam mais ter um romance para sair fazendo sexo por aí. Diferente de antigamente, que a coisa mais difícil era convencer uma garota a dançar contigo.
E a tecnologia então? Outro dia entrei no ônibus e devia ter pelo menos uns quatro rapazes assistindo futebol. Detalhe: cada um assistia a uma partida diferente. Se contar dos outros fulanos e fulanas que deixam música alta, como se o ônibus todo tivesse gostando.
Li no jornal que deve ter pelo menos um pouco mais de 152 milhões de celulares no Brasil, ou seja, mais futebol e música ruim no ônibus. Talvez seja chatice da idade, mas gostava mais quando cada um andava por aí com seu walkman.
Gostava também quando existia um tipo de xampu - sim, xampus -, há tantos tipos. E se meu cabelo fosse cacheado, tivesse pontas duplas e raiz oleosa? Minha aposentadoria seria para comprar xampus.
Sei não, mas este excesso de tecnologia, informações e novidades atrapalha. Essa velocidade louca que as coisas acontecem assusta. Não dá mais tempo de viver certos momentos, pois quando me dou conta já passou, já é retro, como dizem os jovens.
Olha, não sei se o mundo está ficando interessante, ou eu estou ficando desinteressado. Sou analógico demais eu acho, ou chato.

Talvez você goste

2 comentários

  1. cara muitoooo bom, me indentifiquei demais com o senhorzinho, devo ter uma idade parecida com a dele então hehehe!

    ResponderExcluir

Digue...

Formulário de contato