cultura japonesa televisão

NANA

quarta-feira, dezembro 08, 2010Thabata Lima Arruda



NANA foi mais um daqueles animês que estava guardado no armário dos meus irmãos e que eu não dei a devida importância quando foi comprado. Até que um dia resolvi dar uma chance a ele e não me arrependi.


NANA é considerado no Japão um mangá josei (= mulher), ou seja, o público alvo é o feminino, e foi criado pela mangaká Ai Yazawa, a mesma criadora de Paradise Kiss.
O mangá foi lançado em 2002 e nos doze primeiros volumes vendeu em média, nada mais nada menos, que 22 milhões de cópias. Já foram publicados 21 volumes e continua em andamento a série. Aqui no Brasil o mangá é publicado pela editora JBC, e vendido nas bancas por R$10,90. Anos mais tarde foi a vez da versão live-action do mangá, que são aquelas adaptações feitas com atores reais. Foram dois longa-metragens, lançados respectivamente em setembro de 2005 e dezembro de 2006. A série também recebeu adaptação para animê de 47 episódios. Aconselho que faça o download por torrent, assim vocês irão conseguir ver sem pausas.


A história se desenvolve assim que as duas protagonistas se conhecem de forma inesperada. Duas garotas de personalidades opostas, mas que possuem o mesmo nome e idade.
A primeira é Komatsu Nana, que é uma garota comum de vinte anos. É ingênua e dependente. Sofre muito por se apaixonar facilmente pelos rapazes e sonha em ter um namorado, casar-se e ser independente. Por conta desse jeito infantil, a outra Nana lhe dá o apelido de Hachiko (ou Hachi) que é o nome de um famoso cachorro no Japão.
A segunda protagonista é Oosaki Nana, que é totalmente incomum. Possui um estilo e beleza facilmente notado por onde passa. Faz de tudo para ver Hachi feliz. Vai para Tóquio para tornar-se uma famosa vocalista.


No Japão o mangá gerou uma grande polêmica, pois grupos antitabagistas dizem que a série estimula o fumo, já que a protagonista Oosaki Nana e outros personagens fumam o tempo todo. Mas críticas à parte, a série faz um enorme sucesso, assim como a sua trilha sonora, que por sinal é muito bonita, e já tem publicações nos EUA, Itália, Espanhas entre outros países - inclusive o Brasil. 

Nana não só prende a atenção por possuir personagens legais, músicas lindas e uma história cativante. Nana possui uma qualidade nos diálogos e falas dos personagens que pouco encontro em animês. Destaca duas mulheres modernas que lutam, cada uma à sua maneira, para se realizar em todos os aspectos.


Sugiro a todos que gostam de animês que procurem assistir. Ou ler o mangá. Com certeza, não só as garotas, mas também os garotos serão cativados por NANA.

Talvez você goste

0 comentários

Digue...

Formulário de contato